A sardinha está de volta.


Se há um ano a palavra de ordem entre especialistas era colapso, hoje já há quem arrisque falar em abundância de sardinha no País. Em outras palavras, o peixe mais popular do Brasil está de volta e a expectativa de captura para este ano está em torno de 70 mil toneladas, conforme o Grupo de Estudos Pesqueiros (GEP) de Itajaí (SC), que acompanha em tempo real a pesca da sardinha naquele estado, considerado o maior produtor do Brasil. "Até o momento não existe indicação de queda na produção (do País)", avalia o oceanógrafo e professor da Universidade do Vale do Itajaí, que integra o GEP, Paulo Ricardo Schwingel.


A estimativa positiva pode ser comprovada pelos números do Terminal Pesqueiro Público de Santos (TPPS). Levando em consideração apenas a primeira safra do ano (antes do defeso no inverno), o aumento na quantidade de sardinha foi de mais de 200%. Enquanto entre fevereiro e junho de 2008 o equipamento santista recebeu 1.300 toneladas do pescado, no mesmo período deste ano o total registrado foi de 4.100 toneladas.


No entanto, nos últimos dois anos o desembarque de sardinha no TPPS foi bem maior na segunda safra (em 2007 o aumento de captura na comparação dos dois períodos foi de mais de mais de 125%; em 2008, de mais de 400%). Se a tendência se confirmar, o resultado pode ser uma produção maior do que a do ano passado, que ficou em quase 8.500 toneladas. O número, apesar de bom e surpreendente (uma vez que todas as estimativas eram pessimistas) foi menor do que o registrado no equipamento santista em 2007: 9.200 toneladas de sardinha.